Ir para Portal Saúde Ir para Portal Brasil.Gov
imagem representativa da área do site O hospital

O Hospital:Aqui nesta área você poderá conhecer mais detalhes sobre o H.F.S.E, do ponto de vista administrativo, sua descrição, sua história, sua estrutura, localização, etc...

H.F.S.E/R.J./M.S.Voltar para a página Inicial


PEDIATRIA

Setores e respectivas chefias

Chefia do Serviço de Pediatria - H.F.S.E.

  • Chefe do Serviço: Dr. Gil Simões Batista
  • Chefe de Clínica: Drª. Gloria da Costa Cavaleiro dos Reis Velloso
  • Chefe de Clínica Substituta: Drª Raquel Zeitel

 

Preceptores da Residência

  • Gil Simões Batista
  • Daniela de Souza Paiva Borgli
  • Rodrigo Cardeal Menezes

Preceptores do Internato

  • Monica Soares de Souza
  • Gláucia Macedo de Lima

Comissão Científica

  • Monica Soares de Souza
  • Gláucia Macedo de Lima

Setor de Alergia e Imunologia

  • Claudio fernando Cavalcanti Souza

Setor de Cardiologia

  • Sandra de Jesus Pereira

Setor de CETIP(Terapia Intensiva Pediátrica)

  • Eduardo Morsch de Melo

Setor de Dermatologia

  • Maria Eliza Ribeiro Lenzi

Setor de Endocrinologia

  • Maria Christina M. Kurdian

Setor de Gastroenterologia

  • Helena Evangelho Buarque

Setor de GAMA(Adolescente)

  • José Roberto Coelho dos Santos

Setor de Infectologia

  • Marcia Galdino Sampaio

Setor de Nefrologia

  • Arnauld Kaufman

Setor de Neurologia

  • Gustavo Adolfo Rodrigues Valle

Setor de Onco-Hematologia

  • Fernando de Almeida Werneck

Setor de Pediatria Geral

  • Gil Simões Batista

Setor de Pneumologia

  • Solange Leal de Araujo Nunes

Setor de Reumatologia

  • Neusa Maria de Barros

Setor de Psicossomática

  • Paulo Jorge Dicsktein

Setor de Urodinâmica

  • Eliane Garcez da Fonseca

Setor de AMBULATÓRIO GERAL

  • Isa Cristina Neves de Paula e Silva

Setor de AMBULATÓRIO - PUERICULTURA

  • Glória da Costa Cavaleiro dos Reis Velloso

ESPECIALIDADES COMPLEMENTARES

  • Sala da família - Monica Alegre
  • Arteterapia - Tânia Souto Vasconsellos
  • Programação Científica:
    1. Sessão Clinica
      • Calendário anual que segue um rodízio entre os setores do Serviço de Pediatria e Serviços convidados
      • Local: Sala Magalhães
      • Data: Terça-feira
      • Horário: 10:30h até 12:00h
    2. Cursos do Serviço
      • Calendário que segue um rodízio entre os setores do Serviço de Pediatria - H.F.S.E.
      • Local: Sala Magalhães
      • Data: Quinta-feira
      • Horário: 10:30h até 12:00h
    3. Visita Coletiva
      • Local: Sala Magalhães
      • Data: Quarta-feira
      • Horário: 10:30h até 12:00h
    4. Sessão do Setor de Psicossomática
      • Local: Sala Magalhães
      • Data: Segunda-feira
      • Horário: 11:00h até 12:00h
    5. Temas Obrigatórios em Pediatria(TOP)
      • Local: Sala Magalhães
      • Data: Segunda-feira e Quinta-feira
      • Horário: 07:00h até 08:00h
    6. Visita ao paciente internado
      • Após a visita médica, no turno da manhâ, o residente receberá orientação prático-teórica sobre cada caso - em todos os Setores do Serviço(mesas da Sala Magalhães)
    7. Atendimento no Ambulatório
      • O atendimento será sempre supervisionado por um médico do Corpo Clínico da Pediatria - em todos os atendimentos ambulatoriais

Rotina(administrativa) para as internações

Internação eletiva(S.P.A. ou Setores de Especialidades)

  • O médico que indicou a internação deve SEMPRE se dirigir à sala 5 para verificar a existência da vaga nas Enfermarias da Pediatria.
  • Confirmada a existência da vaga:
    • Cabe ao médico da sala 5 dar continuidade ao procedimento de internação:
    • Informar à Enfermagem do andar, via telefone, que acontecerá uma internação;
    • Contactar o Setor que será responsável pelo caso;
    • Preencher corretamente o Laudo Médico para Emissão da A.I.H.;
    • Encaminhar o paciente à Sala de Internação acompanhado de uma Auxiliar de Enfermagem do Ambulatório;
    • Encerrado o procedimento na Sala de Internação, a Auxiliar de Enfermagem do Ambulatório deve acompanhar o paciente até o 3º andar e entregar à Enfermeira do andar, em mãos, a documentaç.ão do paciente.
  • Não existindo vaga no Serviço:
    • A constatação da ausência de vaga, em um determinado momento, obriga o médico responsável pelo caso e o médico da Sala 5 a procurarem um encaminhamento que seja o mais seguro para a saúde do paciente. O corredor não é a saída mais segura.

Internações de Urgência - Ambulatório - H.F.S.E.

  • A Sala 5 informa ao andar a existência de um caso de Urgência
  • Confirmada a vaga
    • INTERNAR
    • Equipe m&ecaute;dica que receberá a urgência:
      Turno da manhâ - médicos do Setor ligado à patologia principal do paciente
      Turno da tarde - médicos de plantão no andar
  • Não havendo vaga
    • Cabe ao andar, na pessoa do Chefe de Clínica, encaminhar a resoluçã do problema.
  • Após a estabilização do paciente, encaminhar o acompanhante/responsável à Sala de Internações para complementação do procedimento.

Transferência de outra unidade Hospitalar - paciente acompanhado em Setor da Pediatria

  • Confirmada a vaga - INTERNAR
    A confirmação da vaga na Enfermaria será feita da seguinte maneira:
    • Confirmar a existência de leito vago
    • Confirmar que não existe paciente do CETIP aguardando vaga na Enfermaria
    • Confirmar com a Sala 5 a não existência de internação pendente
    • Contactar o Setor que acompanha o paciente
  • Não existindo a vaga na Enfermaria
    • Em primeiro lugar contactar o Setor responsável - conhecimento do caso permitirá tomada de conduta correta(pessoalmente ou via telefone)
    • Em segundo lugar entrar em contato com a Chefia do Serviço

Transferências de outros Serviços do H.F.S.E.

Médico que recebeu a solicitação deve procurar a Chefia do Serviço para confirmar a existência da vaga

  • A confirmação de uma vaga será feita da seguinte maneira:
    • Confirmar a existência do leito vago
    • Confirmar que não existe paciente do CETIP aguardando vaga na Enfermaria
    • Confirmar com a Sala 5 a não existência de internações pendentes naquele momento
    • Contactar o Setor que fará o acompanhamento do paciente

TRANSFERÊNCIA de outra Unidade Hospitalar - paciente não acompanhado no H.F.S.E.

Médico que recebeu a solicitação deve procurar a Chefia Médica para confirmar a existência da vaga

    Confirmação de uma vaga será feita da seguinte maneira:
  • Confirmar a existência do leito vago
  • Confirmar que não existe paciente do CETIP aguardando vaga na Enfermaria
  • Confirmar com a Sala 5 a não existência de internações pendentes naquele momento
  • Confirmar a não existência de pacientes de outro Serviço do H.F.S.E. aguardando vaga
  • Contactar o Setor que fará o acompanhamento do paciente.

Transferência da Enfermaria para o CETIP

  • Solicitar a avaliação do paciente por médico do CETIP
    • No caso de avaliação positiva quanto à necessidade de U.T.I. e existindo a vaga - Transferir para o CETIP
    • No caso de avaliação positiva quanto à necessidade de U.T.I. e não existindo a vaga:
      • Avaliar a existência de paciente do CETIP em condições de ser transferido para Enfermaria e efetuar a troca de pacientes
      • No caso de avaliação negativa, por parte de médico do CETIP, da necessidade de transferência do paciente para U.T.I.
        • O médico da Enfermaria deve anotar no prontuário a jusdtificativa para solicitação do parecer ao CETIP, registrando data e hora
        • O médico do CETIP deve anotar no prontuário a justificativa da negativa, registrando data e hora. Entendendo necessário deve, neste momento também, sugerir a conduta a ser asssumida.

        O Box da Enfermaria ocupado pelo paciente transferido para o CETIP ficará indisponível por 24 horas, neste período(24 horas) a mãe/responsável poderá ocupar o referido box.

        Todo paciente transferido da Enfermaria para o CETIP continua ligado ao Setor de origem.

        Fica o Setor de origem obrigado a efetuar visita médica diária durante a permanência do paciente no CETIP.

      Transferência de outra Unidade Hospitalar para o CETIP

      • Confirmada a vaga - Transferir
        A confirmação da vaga no CETIP será feita da seguinte maneira:
        • Confirmação de que não existe na Enfermaria paciente grave e instável.
        • Confirmação de que não existe pós-operatório programado para o CETIP e para a vaga a ser liberada.
      • Na ausência da vaga:
        • O médico do CETIP deve avaliar junto com o médico da Enfermaria a possibilidade de transferência de paciente estável do CETIP para a Enfermaria.

        Transferência do CETIP para Enfermaria

        • Confirmada a vaga - Transferir:
          A confirmação da vaga na Enfermaria será feita da seguinte maneira:
          • Confirmar a existência do leito vago.
          • O Setor responsável deve estar ciente da transferência - encaminhamento natural, uma vez que será obrigatório o acompanhamento por Setor de especialidade durante a estada do paciente no CETIP.
          • Confirmar a presença do responsável pelo paciente(para acompanhar a criança na Enfermaria).
          • Confirmar com a sala 5 a não existência de internações pendentes naquele momento.
        • Na ausência da vaga:
          Contactar a Chefia do Serviço para o encaminhamento do problema.

        Rotina(administrativa) para a alta

        Procedimentos para alta hospitalar

        • Anotar na folha de prescrição a informação: ALTA HOSPITALAR
        • Preencher corretamente o prontuário médico.
        • Preencher Relatório de Internação: resumo de caso clínico; data de revisão ambulatorial; horário; sala do ambulatório; médico responsável pela revisão.
        • Entregar à funcionária responsável o Prontuário Médico e o Relatório de Internação
        • A funcionária responsável pelos prontuários médicos providenciará o CARTÃO DE AVISO de ALTA HOSPITALAR.
        • Sóserá permitida a saída do paciente se seu responsável estiver portando o CARTÃO DE AVISO de ALTA BHOSPITALAR.

        OBSERVAÇÕES COMPLEMENTARES

        1. O prontuário médico e o relatório de internação deverão ser entregues à secretária do Serviço das 08 até às 14 horas, de 2ª a 6ª.
        2. Na ausência da responsável pelos prontuários, entregar o prontuário no gabinete da Chefia Médica.
        3. Procedimentos nos casos excepcionais de ALTA HOSPITALAR em feriados ou finais de semana:
          1. Preencher corretamente o prontuário médico.
          2. Preencher relatório de Internação.
          3. Colocar o prontuário na gaveta do livro de plantão.
          4. Entregar o relatório de internação ao responsável
          5. Anotar no LIVRO DE PLANTÃO: liberado CARTÃO DE ALTA HOSPITALAR para o paciente ..................., Registro número ................;
          6. Anotar também no livro de plantão o nome do Staff que autorizou a alta no fim de semana.

        Rotina para a evolução diária

        Usar folha própria(impresso da pediatria) criadas para servir de roteiro nas evoluções diárias da rotina(manhã).

        fora da rotina da manhã(tardes e plantões) usar a folha de evolução padrão do H.F.S.E.

        Rotina de prescrições

        CUIDADOS AO PREENCHER A FOLHA DE PRESCRIÇÃO

        • Dados obrigatórios em todas as prescrições:
          • Nome completo do paciente
          • Registro no H.F.S.E.
          • Enfermaria e leito
          • Assinatura e carimbo do médico responsável(Staff ou Residente)
        • As prescrições do Serviço devem ser feitas na Secretaria usando os computadores disponibilizados para tal. Seguir escala para cada Setor da Pediatria(ver no local).
        • As drogas prescritas no Serviço de Pediatria devem ter os seus valores referidos em: μcg; mg; UI, etc.
        • Não prescrever valores em ml
        • Sempre iniciar a via de administração: V.O.; I.M.; I.V. etc.
        • Alertas sobre características especiais da medicação tais como: volume de diluição, tempo de infusão, diluentes específicos e outros, devem ser anotados na folha de prescrição com o devido destaque.
        • Ao prescrever SANGUE e derivados usar referência de volume: ml.
        • Prescrições de Hidrataço Venosa devem ter os seus componente referidos em ml.

        MODIFICAÇÕES NA PRESCRIÇÃO APÓS A ENTREHA DA CÓPIA NA FARMÁCIA

        • Deve ser feita uma nova prescrição, com todos os dados de identificação do paciente, contendo a modificação ou o acréscimo desejado.
        • No caso de modificação anotar SUSPENSO na primeira folha de prescrição e indicar que existe uma 2ª folha("ver folha 2" ou "cer continuação" etc)

        ANOTAÇÕES NA FOLHA DE PRESCRI&Ccedoil;ÃO

        • Pacientes de alta hospitalar devem ter uma anotação ao fim da prescrição indicando este fato("ALTA HOSPITALAR").
        • Quando se fizer necessária DIETA ZERO para realização de exames ou procedimentos anotar esta informação na prescrição, com destaque e com referência à hora de início.
        • OBS> Em caso de exame/procedimento do paciente e a Enfermeira do andar:
          • Destino
          • Horário de saída
          • Programação de retorno

          NORMAS PARA TRANSFUSÃO DE SANGUE E DERIVADOS

          • O sangue/hemoderivado enviado pelo banco de sangue será recebido na enfermaria de pediatria pela enfermeira resoponsável pelo andar.
          • Avaliação de se existe uma diferença entre o volume prescrito e o volume enviado pelo Banco de sangue, assim como as correções necessárias, serão executadas pela Enfermeira do andar e pelo Pediatra.
          • A instalação do sangue/hemoderivado será feita pela Enfermeira.
          • Antes de se iniciar a transfusão deve o Pediatra realizar a avaliação clínica do paciente e anotar os dados clínicos(F.C.; F.R.; P.A.; T.A.; etc.) e o horário de início no prontuário médico.
          • A intervenção no caso de intercorrência relacionada ao funcionamento do equipamento assim como da via de administração deve ser feita pela Enfermeira do andar.
          • A intervenção no caso de intercorrência clínica - alteração do quadro clínico do paciente - será feita pelo Pediatra.
          • OBS: Itens 5 e 6 indicam DURANTE o procedimento de transfusão deve o paciente ser avaliado pela Enfermagem e pelo Pediatra.
          • Conduta ao término da transfusão:
            • Retirada do equipamento assim como cuidados com local e via usada na transfusão será realizada pela Enfermeira do andar.
            • deve o Pediatra realizar a avaliação clínica do paciente e anotar os dados clínicos(F.C.; F.R.; P.A.; T.A.; etc.), intercorrências e o horário do término no printuário médico.

            PROCEDIMENTO DE TRANSFUSÃO SERÁ SEMPRE EXECUTADO COM A PRESENÇA DA ENFERMEIRA E DO PEDIATRA.

  • Área de Interesse:

    Setores do R1

    • Alergia Imunologia
    • Berçário(Maternidade Alexander Fleming)
    • Gastroenterologia
    • Infectologia
    • Nefrologia
    • Pediatria Geral
    • Pneumologia
    • Psicossomática
    • Urodinâmica
    • Ambulatórios: Pronto Atendimento, Puericultura, Seguimento(Pré-escolar e escolar), Adolescente (GAMA), Sala 5.

    Setores do R2

    • CETIP(Terapia Intensiva Pediátrica)
    • U.M.F.(Terapia Intensiva Neonatal)
    • Cardiologia
    • Endocrinologia
    • Neurologia
    • Onco-Hematologia
    • Reumatologia
    • Psicossomática
    • Ambulatórios: Pronto Atendimento, Puericultura, Seguimento(Pré-escolar e escolar), Adolescente (GAMA), Sala 5.

    Setores com programa de R3

    • Alergia Imunologia
    • Cardiologia
    • CETIP(Terapia Intensiva Pediátrica)
    • Endocrinologia
    • Gastroenterologia
    • Hematologia/Hemoterapia
    • Infectologia
    • Nefrologia
    • Neurologia
    • Pediatria Geral
    • Pneumologia
    • Reumatologia

    Setores com programa de R4

    • CETIP(Terapia Intensiva Pediátrica)
    • Neurologia

Localização :

  • Enfermaria: 3º andar do prédio principal
  • Ambulatório: 1º e 2º andar do anexo 3

Telefone geral: (55) (21) 22 91 31 31

  1. Ambulatório/Pediatria/Higiene Infantil - 3213/3802
  2. Ambulatório/Pediatria/Posto Enfermagem - 3212
  3. Ambulatório/Pediatria/Triagem - 3625
  4. Pediatria/Almoxarifado - 3358
  5. Pediatria/Chefia Enfermagem - 3562
  6. Pediatria/Chefia Médica - 3283
  7. Pediatria/Copa - 3279
  8. Pediatria/Enfermaria - 3519/3814
  9. Pediatria/Hospital Dia/Alergia - 3285
  10. Pediatria/Secretaria - 3373

 

Informação atualizada em 18/04/2011.

Note que as informações aqui disponibilizadas são de caráter complementar, não substituindo, em hipótese alguma, as visitas regulares ao médico ! Evite a auto-medicação, consulte, sempre, um profissional devidamente capacitado !
H.F.S.E. - (Hospital Federal dos Servidores do Estado)

Hospital do Ministério da Saúde, localizado na cidade do Rio de Janeiro, mantido pelo Governo Federal


Rua Sacadura Cabral , 178 - CEP.:20221-903 - Rio de Janeiro - RJ

Telefone: (0XX) (21) 2291 3131 e Fax: (0XX) (21) 2516 1539


Design e Desenvolvimento: Equipe de Desenvolvimento Web do C.P.D.